OMPI: Quais os maiores requerentes de ativos de PI de 2016?

March 24, 2017

A Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) partilhou, recentemente, dados estatísticos relativamente às empresas que, durante 2016, mais investiram em ativos de PI, nomeadamente marcas, PCT’s, designs e nomes de domínios, tendo-se verificado um aumento na demanda destes serviços de PI.

Relativamente às marcas, foi registado um crescimento de 7.2%, que se traduziu em 52.550 pedidos de marca. Os “gigantes” que mais investiram neste ativo de PI foram a L’ORÉAL, em 1º lugar, com 150 marcas pedidas; a GLAXO GROUP LIMITED, em 2º lugar, contando com 141 pedidos; e a BMW, em 3º lugar, com 117 pedidos, tendo sido, esta última, a empresa que apresentou um maior crescimento, comparando com o passado ano de 2015 - uma incrível subida de 192.5%.

No que respeita aos pedidos de patente, verificou-se um aumento de 7.3%, tendo-se depositado 233.000 patentes, na alçada do Tratado de Cooperação de Patentes (PCT). Os requerentes que mais inovaram e investiram no progresso científico-tecnológico foram a ZTE CORPORATION, em 1º lugar, com 4.123 pedidos; a HUAWEI TECHNOLOGIES, em 2ª lugar, com 3.692 pedidos; e a QUALCOMM INCORPORATED, em 3º lugar, com 2.466 pedidos de PCT. Para além destes colossos tecnológicos, empresas como a MITSUBISHI ELECTRIC CORP, a LG ELECTRONICS, a HEWLETT-PACKARD e a INTEL CORPORATION marcaram também presença no pódio de maiores requerentes de PCT’s de 2016.

Quanto aos designs, registou-se um crescimento de 13.9%, equivalendo a 18.716 pedidos. A holandesa FONKEL MEUBELMARKETING, na liderança dos maiores requerentes deste ativo de PI, deu entrada de 953 pedidos de design; a SAMSUNG ELECTRONICS, em 2º lugar, com 862 pedidos; e a LG ELECTRONICS, atrás desta, com 728 pedidos de design, tendo apresentado um impressionante crescimento de 1448.9%.

Relativamente aos nomes de domínios, verificou-se um crescimento de 10 %, com um total de 3.036 registos. Em 1º lugar, encontra-se a PHILIP MORRIS, com 67 registos; em 2º lugar, a sueca AB ELECTROLUX, com 51 registos; em 3º lugar, a HUGO BOSS, que procedeu ao registo de 42 nomes de domínio.

A partir destes dados partilhados pela OMPI, podemos verificar que 2016 foi, sem dúvida, um ano marcado por uma forte aposta nos ativos de propriedade industrial das empresas, facto que revela a crescente importância que estas atribuem aos seus ativos intangíveis.


O texto original desta noticia foi escrito em Inglês.

Anterior Próxima